Especialização precoce

Especialização precoce



Você já ouviu falar em Especialização precoce no esporte?


Quando a criança se especializa em um determinado esporte antes do que seria considerado para tal, foi atribuída a denominação de “Especialização precoce” pelos especialistas. Usaram-se outros termos populares dentro do esporte para expressar esse processo, como: Atleta em miniatura ou adulto em minituara.


Este processo de especialização precoce vem se intensificando cada vez mais, tanto pelos adventos da modernidade tecnologia quanto pela falta de segurança urbana, cada vez mais o pais procuram

escolinhas de esportes (principalmente futebol) querendo que seu filho seja um atleta. Consequentemente cada vez mais surgem competições esportivas que visam faixas etárias baixas.


Ai alguém fala de forma confortante: “Ah mas esporte é saúde, faz bem para a formação da criança, e ajuda ela a saber perder e ganhar”.


Bem, vivemos em um mundo de polaridades, muitas das coisas podem ser boas ou ruins, o que diferencia um estado do outro é a maneira que são aplicados. Por exemplo: a água é algo vital em nossa vida, porém, em excesso pode gerar um desequilíbrio em nosso organismo.

A grande questão do esporte, é que muitas das vezes as crianças não estão ali por vontade própria, mas pela insistência dos pais e familiares, ou até mesmo das escolas. No entanto a questão é ainda maior, pois a criança nas fases iniciais ainda está em um mundo de descobertas e aprendizados, nesse período sua gama de movimentos e habilidades encontra-se elevada, e restringindo-a fixação de alguns movimentos e habilidades motoras especificas de determinada modalidade é limitar o seu potencial e desenvolvimento, sem falar ainda da parte cognitiva, como inteligência do jogo e resolução dos seus problemas.

Outro detalhe importante é a questão psicológica, a exposição a qual a criança é colocada através da competição, afinal, muitas das vezes ela é apenas transferida do mundo adulto para o infantil, e sequer sofre adaptações necessárias. Por exemplo, você já assistiu um futebol 11x11 em campo oficial, com crianças de 7,8, 9 anos? Um goleiro de 1,45 em uma trave de 7 metros? Faz realmente algum sentido pedagógico? Você acha que existe algum lateral direito, centroavante, meia-armador com 8 anos de idade? São apenas crianças!

Reflita...

O esporte pode sim contribuir no desenvolvimento da criança nas diversas áreas de sua vida, mas é preciso professores capacitados para isso também, escolas que estejam comprometidas com o processo de desenvolvimento humano da criança e não apenas em ganhar algum tipo de competição.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *